AgeRio assina os primeiros contratos com artesãos fluminenses

Artesãos fluminenses aprovados no Programa ArtCred RJ, parceria da Agência de Fomento do Estado do Rio de Janeiro (AgeRio) e da Secretaria de Estado de Turismo (Setur-RJ), assinaram, na última sexta-feira (26/02), os primeiros contratos de financiamento com os microempreendedores. A cerimônia foi realizada na sede da Agência e contou com a participação de artesãos dos Municípios de Angra dos Reis e Valença.

O presidente da AgeRio, André Vila Verde ressaltou que o programa é mais uma medida para fortalecer a economia local e possibilitar que os artesãos consigam manter os negócios no momento de retomada da economia: “Agradeço a todos pela confiança que os artesãos depositaram na Agência e espero que esse momento seja o primeiro de uma relação de confiança. A nossa proposta é impulsionar o trabalho que os artesãos fazem em suas cidades e abranger uma base ainda maior de empreendedores”.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Leonardo Soares o artesão deve ser visto como artista e empreendedor, que precisa de crédito para adquirir matéria-prima e ferramentas e para garantir sua capacitação, como um profissional que deve ser respeitado como tal. Segundo ele, o artesanato, como tantas outras atividades, também movimenta a economia, e gera emprego e renda.

O subsecretário de Turismo Gerciano de Lima Luz, destacou que o Programa ArtCred RJ é de suma importância para o desenvolvimento dos negócios. Segundo ele, é impossível pensar no Turismo sem pensar nos artesãos: “Todos os turistas levam uma lembrança da cidade que visitam para guardar importantes momentos. A partir de agora, todos terão a oportunidade de alavancar os seus negócios e gerar mais recursos, de modo a possibilitar acesso das suas artes para a população”.

O presidente do Conselho de Administração da AgeRio, Vinicius Sarciá declarou que o governo trabalha de forma incansável para estimular a retomada da economia: “Foram várias áreas impactadas pelo Coronavírus e os artesãos não tiveram condições de vender os seus produtos. Sabemos que os municípios ficaram fragilizados e é fundamental fomentar para que os artesãos voltem a produzir”.

Fortalecimento dos artesãos

Artesão de Angra dos Reis, Ilson dos Santos Luis, 68 anos, declarou que o programa salvou os empreendedores em um momento de muita dificuldade em decorrência da pandemia: “Esse projeto foi totalmente diferente e posso dizer que foi um verdadeiro milagre para todos nós. O crédito vai chegar em uma hora muito boa. Gostaria de destacar a facilidade e a agilidade que encontrei na tramitação”. O profissional trabalha na área desde 1991 e atualmente faz esculturas em madeira e em blocos de concreto.

Para Raphaella Freitas da Cunha Ribas, de 33 anos, o financiamento vai dar um fôlego devido ao momento ainda delicado: “O programa serviu para seguirmos em frente e melhorar a nossa situação, que ficou ruim por causa da pandemia”. A artesã, que mora em Conservatória, expõe na feira de artesanato da cidade. Ela produz artigos para casa, além de itens para bebês e crianças, e costura à mão os seus produtos.

“Esse momento é mais que oportuno e veio para classificar e valorizar a importância dos artesãos de Angra dos Reis e demais municípios. É um programa que mostra a importância do artesanato para o desenvolvimento do turismo e da economia das cidades”, comentou Valmir Manoel dos Santos, 36 anos. Ele trabalha há dois anos no município, com produtos feitos a partir de fibra de coqueiro e conchas das praias da região.

A gente apoia. O Rio cresce!

Saiba mais sobre a AgeRio