AgeRio conquista acesso direto aos recursos do Fempo

Nesta quarta-feira (23/12), a AgeRio obteve uma importante vitória, que possibilitará continuidade e maior eficiência operacional ao Programa de Microcrédito Produtivo Orientado da Agência. Foi publicada, hoje, no Diário Oficial, a alteração do Decreto Estadual N° 45.526, de dezembro de 2015, incluindo o Fundo Estadual de Fomento (Fempo) ao Microcrédito Produtivo Orientado (MPO) entre os fundos com gestão descentralizada.

Segundo a Superintendente de Planejamento e Relacionamento Institucional, Tatiana Oliver, a alteração desse dispositivo permite à Agência a capacidade de acessar integralmente os recursos, sem depender dos repasses de tranches de crédito.

– As receitas do Fempo eram recebidas e encaminhadas para a Conta Única do Tesouro, vinculada à Secretaria da Fazenda, então cada vez que precisávamos acessar os recursos, era necessário realizar uma interação com os responsáveis, para que houvesse liberação das tranches de crédito. O Governo do Estado centraliza todos os fundos, mas possui algumas exceções com gestão separada. Agora, conseguimos incluir o Fempo como uma dessas exceções.

A superintendente também reforçou que esta nova realidade simboliza uma vitória para a AgeRio, trazendo maior segurança para manter o Programa de Microcrédito como uma frente de negócios permanente da instituição, com a garantia de maior eficiência operacional e acesso ao fundo.

– Agora a AgeRio não depende mais da Fazenda para fazer a disponibilização dessas tranches, então o recurso do Fempo permanece nele, o que representa uma garantia mais sólida de que teremos esse funding para os próximos anos.  Portanto, isso traz mais segurança de que vamos manter o Programa de Microcrédito como existe hoje de forma perene. É uma vitória muito importante para essa frente de negócios da Agência.

De acordo com o Gerente de Clientes e Negócios do Microcrédito Produtivo Orientado, Pedro Paulo, o novo decreto irá permitir que a AgeRio tenha maior autonomia na gestão do Fempo. Ele considera que esta mudança tem um impacto estratégico na redução do risco de descontinuidade do programa, além disso, ressaltou que em 2016 o Fempo ficou indisponível por influencia deste fator.

– Hoje tivemos um avanço importante na construção de nosso programa de MPO. Atualmente, operamos com o Fempo (por atendimento direto) e a Caixa Econômica Federal (via correspondentes).  A disponibilidade constante de recursos é imprescindível para a construção de um programa robusto e duradouro. Nosso próximo desafio será a contratação de canais de distribuição específicos para o Fempo, que poderá ser feito por meio dos Correspondentes e outros canais conforme estratégia que será definida pela Diretoria.

A gente apoia. O Rio cresce!

Saiba mais sobre a AgeRio