Zimpimpim

Como tudo começou

Situações que fogem do nosso controle podem ser ótimos gatilhos para dar início a um projeto que está parado há algum tempo ou que antes você não sabia como tirar do papel. E foi assim que Cláudia Ramos criou a marca Zimpimpim.

A fundadora da empresa sempre gostou muito da ideia de ter um negócio próprio e possui habilidades voltadas para o artesanato. Desde nova, quando a situação financeira em casa não estava das melhores, ela confeccionava camisetas decoradas com flores de fuxico em parceria com a mãe, que foi uma das suas principais apoiadoras, mas pararam de fazê-las porque o pai adoeceu e já não estava mais em alta na moda.

“Ele veio a falecer em 2011. Eu era estagiária da área de administração nessa época, recebia pouco pra arcar com despesas da casa. Foi aí que aprendi pela Internet a fazer patchwork (um tipo de trabalho com retalhos) embutido. Comecei a fazer caixas com essa técnica e vender pra complementar a renda. Minha mãe também me ajudava (e muito!)”, contou a microempresária.

Fugindo da zona de conforto

No entanto, pouco tempo depois a mãe de Cláudia também faleceu e ela não conseguia mais ter ânimo para trabalhar fora, pois tudo a remetia à mãe. Porém, esse acontecimento foi o estopim para fazê-la retomar a produção artesanal e começar a se descobrir nessa área. Em 2014, ela arriscou no segmento de noivas, mas em seguida descobriu que estava grávida, fato que fez com que a artesã começasse a se interessar pelo mundo da maternidade e a confeccionar produtos para seu filho e filhos das suas amigas. E assim nasceu a Zimpimpim.

“Em 2015, ao descobrir que estava grávida, comecei a pesquisar sobre esse ‘mundo materno’. Fiz umas coisinhas para o quarto do meu filho, um quadro para a filha de uma amiga e fiquei tão apaixonada pela possibilidade de criar peças fofinhas que decidi mudar o nome da marca e o segmento. Me achei! Criei a Zimpimpim!”, disse Cláudia.

Atualmente, a empreendedora trabalha sozinha, mas conta com o apoio do marido. Quando a procura é maior e a produção se torna mais intensa, Cláudia contrata uma pessoa para ajudá-la na confecção.

“Meu marido sempre me incentivou. Sempre acreditou que poderíamos progredir. Ricardo é maravilhoso! Ele que me dá força, coragem, me incentiva muito e tem participado cada vez mais da Zimpimpim! Quando a produção se torna mais intensa eu ‘contrato’ uma pessoa pra ajudar, mas aí é por um valor simbólico e por um tempo determinado”, explicou a fundadora.

O apoio da AgeRio

Após criar a marca, a empreendedora decidiu buscar por linhas de crédito para MEI na Internet, deparou-se com a AgeRio e se cadastrou para receber o email marketing da Agência para ficar sempre por dentro das novidades.

Um tempo depois, a microempresária decidiu tentar um financiamento junto à AgeRio para melhorar a sua plataforma online e repaginar sua identidade visual. E em 2019, a resposta positiva chegou para ela, trazendo benefícios ao seu negócio. A empreendedora acredita que a médio prazo os pontos positivos do crédito que adquiriu junto à Agência ficarão ainda mais evidentes.

“Esse ano recebi um e-mail incrível da AgeRio me dando uma resposta positiva, dizendo que sim, que era possível conseguir o financiamento! O financiamento trouxe muita coisa boa. Me senti feliz por me alguém ter notado que meu negócio pode evoluir sim. Além disso, recebi orientação do que deveria e poderia priorizar – que seria: melhorar a plataforma de vendas online, tanto que com parte do financiamento pude contratar uma profissional para arrumar a nossa loja virtual e também repaginar nossa marca! E acredito que isso no médio prazo vai refletir no desempenho do negócio”, afirmou Cláudia.

Além dos quesitos materiais, a criadora da Zimpimpim acredita que o financiamento foi responsável por revigorar a vontade de seguir trilhando esse caminho.

“Trouxe também  mais ânimo para continuar trilhando esse caminho do empreendedorismo, pois sei que poderei continuar contanto com apoio da AgeRio para outras fases do negócio, até porque a Zimpimpim tem muito a melhorar!”, completou.

5 dicas para fazer o seu negócio fluir

A empreendedora deu cinco dicas incríveis para quem quer tirar um projeto do papel e não sabe por onde começar. Confere só:

1 – Fazer o que ama

Empreender em uma área que realmente motive a pessoa, de verdade. O caminho do empreendedorismo não são apenas flores. É árduo.“

2 – Perseverança

“Não dar ouvidos a quem fala que não vai dar certo. Se o nosso coração pede, a gente faz dar certo sim! Tudo é possível.”

3 – Paciência

“Ter paciência, porque nada acontece em curtíssimo prazo, principalmente sucesso e retorno financeiro.”

4 – Foco

“Para não pirar e desistir tem que ter foco e saber aonde quer chegar. Ter metas.”

5 – Buscar informações

“Estudar, ler, ver vídeos, pesquisar e conversar com pessoas que já passaram ou que estão passando pela mesma situação.”

 

 

Quer ver mais histórias como essa e receber conteúdos exclusivos em primeira mão? Clique aqui e cadastre-se gratuitamente.

Na AgeRio você encontra a solução para o seu negócio crescer!

Faça uma simulação

Pin It on Pinterest